Brasileiros ganham prêmio de música na Suíça

Julho 1, 2019
Posted in Notícias
Julho 1, 2019 Marcia Ameriot

Na última quarta-feira, 26 de junho, um grupo de  18 jovens talentosos brasileiros que estudam na Escola de Altos Estudos de Música de Genebra da Suíça, fizeram um concerto com repertório sobre o Brasil e emocionaram o público. Dois dos músicos brasileiros ganharam prêmios como destaques do ano.

A apresentação contou com a participação de quatro músicos dos  Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA), de Salvador,  projeto que promove a inserção social por meio da música. Eles vieram à Genebra com o apoio do Consulado do Brasil. Juntos, eles fizeram um “passeio” por diversos gêneros musicais: da música clássica passando pelo forró, bossa nova, choro e sertanejo. O concerto recebeu muitos aplausos e gritos de “bravo” vindos da plateia.

Os premiados

Um dos músicos que se apresentou,  Natanael Ferreira, de 24 anos,  ganhou o prêmio de melhor instrumentista de corda em mestrado solista do ano da escola. Ele relatou ter muito orgulho de levar o nome do Brasil para o mundo : “Nasci em um bairro pobre em Anápolis. Sempre está na minha cabeça de onde eu venho e quão gratificante é esse retorno, poder ganhar essa recompensa”, diz o jovem, que já ganhou outros prêmios na Suíça e França.

Ana Carolina Lima de Almeida, de 20 anos, foi a outra brasileira que recebeu reconhecimento público: a contrabaixista ganhou um prêmio designado a instrumentistas de corda que se destacaram nos estudos (bacharelado) na escola de música suíça. “Já tinha recebido um prêmio para a música de câmara com um quarteto de contrabaixo em 2017. É uma honra poder mostrar a capacidade do Brasil. Estamos aqui e podemos fazer coisas importantes. Não somos conhecidos como músicos clássicos, mas também podemos entrar nesse meio com relevância”, disse a jovem que está há três anos na Suíça e estudou em um projeto social em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ela ganhou uma bolsa para a Escola de Altos Estudos de Música de Genebra mas precisou fazer uma vaquinha online para as passagens e as despesas.

O barítono Mateus Carvalho, de 25 anos, um dos quatro brasileiros que vieram de Salvador especialmente para a apresentação em Genebra, era só felicidade. Ele, que faz parte do coral juvenil do NEOJIBA, viajou pela primeira vez ao exterior especialmente para cantar com uma orquestra numa cidade da Suíça. “Foi uma experiência única que marcou a minha vida. Cantei solo com orquestra pela primeira vez, mas o que me deixou muito confortável foi o fato de ser música popular brasileira que, parece fácil, mas não é. Também espero ter passado o suingue, o balanço que é típico do brasileiro”, disse Mateus, que cantou sete músicas, entre elas “Garota de Ipanema” e “Carinhoso”.

O contratenor e pianista Luan Góes, de 31, que é aluno na Escola de Altos Estudos de Música de Genebra, tocou, cantou e encantou. “Essa energia não tem igual. Saudade da nossa terra. Foi muito bonito”, disse Luan, que cantou uma peça de Villa-Lobos.

Para a cônsul-geral do Brasil em Genebra, Susan Kleebank, esses jovens mostram que existe um Brasil com grande potencial. “São jovens, têm talento, são brasileiros e têm futuro. Esse é o nosso Brasil”, diz a cônsul-geral. “A mensagem desse projeto é que o Brasil é muito lindo e precisa ser conhecido. Os jovens músicos são talentosos, têm dificuldades a enfrentar, mas são firmes e querem ir adiante nos estudos. Eles têm de ser valorizados aqui e lá. O mínimo que a gente pode fazer é reconhecer e apoiar esse talento para que se tornem bons profissionais”, disse. 

O concerto foi um dos eventos realizados na Escola Internacional de Genebra, que abriu as portas na quarta-feira à tarde para celebrar a diversidade cultural do Brasil.

Com informações do Valor Econômico e SWI swissinfo.ch

 

 

, , ,

Marcia Ameriot

Bacharel em Comunicação pela PUC - SP e jornalista.Há mais de 30 anos atua no Terceiro Setor, tendo dirigido grandes fundaçōes. Desenvolveu sua carreira em Comunicação em veículos de comunicação como Folha da Tarde, Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. Especialista em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela FGV - SP, é Reinventora CORE e Diretora de Comunicação da Associação.
× Precisa de ajuda?