Janeiro 26, 2019 Core

Mais uma barragem se rompe. Não estamos falando de um acidente e sim de mais um crime ambiental. SOMOS TODOS RESPONSÁVEIS: a Vale, o governo que afrouxa as licenças, a justiça cega ao ocorrido em Mariana e todos nós pois utilizamos os materiais provenientes dessa cadeia de produção, ou seja, a maioria dos alimentos, roupas, utensílios, eletrônicos e energia que utilizamos vem da cadeia de extração de minérios.

Inclusive, eu digitando esse texto do meu smartphone, que impacta menos, mais impacta o meio ambiente. Mas temos alternativas, demorei um tanto pesquisando não só preço, mas também quais empresas e tipos de materiais são utilizados nos celulares vendidos no Brasil que são mais sustentáveis.

Temos consciência, temos responsabilidade, temos escolha. A barragem rompida nesta tarde de sexta-feira, é da Vale. E a responsabilidade não é só da Vale é de todos nós. Talvez essa seja uma oportunidade (triste) para reavaliarmos nosso padrão de consumo. Quanto mais queremos e criamos necessidades, mais exaurimos o Planeta. A custa do que e de quem?
O que podemos fazer? Entender que há cadeias de produção, que não existe lado de fora e que temos alternativas, só depende de cada um de nós.

Nossa solidariedade à comunidade Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, aos bairros Canto do Rio, Pires, Amianto, São Conrado, Alberto Flores e Parque da Cachoeira, ao Rio Paraopeba e ao Instituto Inhotim que foi evacuado devido ao risco de inundação.

Gabriela Cilento Conti Montenegro – arquiteta e designer para a sustentabilidade, é Renovadora CORE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

× Precisa de ajuda?