Professoras recebem formação em horta pedagógica

Maio 10, 2018
Posted in Notícias
Maio 10, 2018 Core

Montar uma horta dentro da escola pode parecer trabalhoso, mas, na prática pode trazer mais benefícios que trabalho para professores de todas as disciplinas. É o que Lucas Ciola, do grupo de educação ambiental Eparreh, mostrou para um grupo de professoras da Escola Estadual Profa. Jacyra Moya Martins Carvalho em São Paulo (SP).

“A horta é uma forma de mostrar que a teoria vista em sala de aula tem uso na prática. Imagina quanta coisa dá para trabalhar de matemática calculando a colheita do milho, medindo os canteiros”, contou Lucas durante a formação. “A geografia pode analisar a terra, vamos estudar biologia ali na horta vendo que inseto come qual planta, qual é a cadeia ecológica, estudar fotossíntese ali com o alface. Assim a gente devolve o encantamento, o prazer em estudar”.

É justamente pensando no que chamam de “reencantamento humano” através da agroecologia que o grupo atua desde 2004 em campanha para que todas as escolas tenham uma horta pedagógica. Um dos principais objetivos da horta na escola é a de auxiliar na reeducação alimentar: “Os adultos, às vezes, acham que as crianças não gostam de salada, mas depois que elas plantam a salada, todas gostam. Não é uma questão de sabor, é de cultura e educação”.

Além de explicar todos os benefícios de trabalhar com uma horta orgânica, Lucas mostrou para as professoras o passo a passo de como montar uma dentro da escola. “Tenho certeza que ele plantou várias sementinhas em muitas pessoas que estavam ali, motivou o interesse de colocar em prática tudo que ele disse”, conta a professora Digiane Carrilho. Para outra educadora, Maria Zilda Alves, a palestra foi emocionante, veja seu depoimento:

“Fiz uma viagem ao túnel do tempo, lembrei da minha avó Chica, que era uma curandeira e benzedeira de mão cheia. Ela me ensinou a cuidar, proteger e amar a natureza. Quando Lucas começou explicar sobre as plantas curativas, recordei nos mínimos detalhes, que se tínhamos algum machucado, ela nos curava com empastro de matruz, se estávamos resfriados, usava seu xarope mágico, se ficávamos tristes ela nos curava com seu benzimento usando três ramos de fedegoso. Fiquei imaginando as avós e os avôs dos nossos alunos passando toda essa vivência na nossa horta escolar comunitária.”

Como entidade Amiga da Educação e em parceria com a Secretaria da Educação de SP, a CORE “adotou” a EE Profa. Jacyra Moya Martins Carvalho, realizando um diagnóstico da situação escolar e definindo com a escola qual a melhor estratégia de ação para chegar a estabelecer uma comunidade de aprendizagem. Desde o ínício do ano escolar, a CORE tem levado um ciclo de formação para a gestão e corpo docente e, para isso foram organizadas atividades de autoconhecimento e dança circular para estimular a integração entre as professoras, além de uma palestra sobre TDAH. O ciclo continua até o fim do semestre, com atividades sobre ativação de parcerias, prevenção às drogas e metodologias ativas na educação.

, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *