Saiba como acompanhar evento com Malala pelas redes sociais

Saiba como acompanhar evento com Malala pelas redes sociais

Na segunda-feira, dia 9, feriado da Revolução Constitucionalista no estado de São Paulo, a capital receberá a ativista pela educação das meninas e a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel (aos 17), Malala Yousafzai.

Ela vem pela primeira vez ao Brasil, a convite do Itau Unibanco. Malala irá encontrar meninas de projetos sociais parceiros do banco e conversar com especialistas em uma mesa redonda que abordará temas como a importância da leitura e do vínculo familiar, o empoderamento feminino e a tolerância.

O evento que acontece no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo (SP), será transmitido ao vivo pelo Facebook, Twitter e YouTube oficiais do banco,  no dia 9 de julho, a partir das 16 horas (e até às 18 horas).  Assim, todos podem assistir de onde estiverem, e difundir o evento nas redes sociais:

www.facebook.com/events/658896581112189/

Quem é Malala

Ela tem só 20 anos. Está na lista dos 30 jovens mais influentes do mundo. Quer estimular a educação de meninas e criou uma organização para isso. Já fez um discurso na ONU. É dona do Prêmio da Paz para a Infância. Ganhou a Medalha da Liberdade, do Centro Nacional Constitucional, nos Estados Unidos. Foi reconhecida como cidadã canadense. Concluirá seus estudos em Oxford, na Inglaterra e, sobretudo, enfrentou o Talibã para que sua voz pudesse ser ouvida.

A paquistanesa Malala Yousafzai não conquistou sua notoriedade de maneira fácil. A jovem se tornou conhecida ao mundo após ser baleada na cabeça por talibãs ao sair da escola, quando tinhas 15 anos. Em 2008, o líder talibã local emitiu uma determinação exigindo que todas as escolas interrompessem as aulas dadas às meninas por um mês. Na época, ela tinha 11 anos. Foi quando a menina, incentivada pelo pai, que era diretor de sua escola, começou a escrever um blog, "Diário de uma Estudante Paquistanesa", para a BBC local no qual falava sobre sua paixão pelos estudos e as dificuldades enfrentadas no Paquistão sob domínio do talibã.

Em 9 de outubro de 2012 tudo mudou. Dentro de um ônibus escolar, ao lado de outras meninas, Malala voltava para casa depois de um dia letivo quando foi alvo de um ataque a tiros por membros do Talibã. À época a jovem morava no Vale do Swat, uma região no norte do Paquistão, e defendia publicamente, em um blog, o direito à educação para meninas em seu país -- pensamento este que os talibãs não compartilham.

Malala foi atingida na cabeça em um atentado que chocou o Paquistão e o mundo. Com a repercussão, entidades internacionais foram acionadas e ela foi retirada de seu país ao lado de sua família e levada ao Reino Unido. Em uma cirurgia de sucesso, médicos conseguiram salvar a vida de Malala que, hoje, terminou o ensino médio e estuda filosofia, política e economia na Universidade de Oxford.

Hoje, a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã virou símbolo.

 

No Comments

Post a Reply

WhatsApp chat