Conselheiras CORE abrem curso sobre neurociência para educadores

Conselheiras CORE abrem curso sobre neurociência para educadores

"Se uma criança não consegue aprender do jeito que ensinamos, talvez devêssemos ensinar do jeito que ela aprende” (Ignacio Estrada). Essa pérola da sabedoria pedagógica, que chamamos de “diferenciação”, requer um extraordinário grau de habilidade e dedicação por parte do professor e foi citada pela especialista em Neurociência, professora Cristiane Raposo, Conselheira CORE, diante de uma plateia de quase 800 educadores reunida em São Paulo, no Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem).

Cristiane e outra de nossas Conselheiras Reinventoras, Fabiana Sarlo, foram responsáveis pela abertura do Curso “Neurociências e Educação”, destinado aos coordenadores pedagógicos¸ diretores de escola, supervisores, assistentes de direção, professores de educação infantil e ensino fundamental, professores de ensino médio e auxiliares técnicos de educação da rede municipal de São Paulo. A palestra, de duas horas, teve como foco a reflexão das contribuições da Neurociência à educação e aprendizagem.

Neurociência é o estudo científico do sistema nervoso. Tradicionalmente, a neurociência tem sido vista como um ramo da biologia. Entretanto, atualmente ela é uma ciência interdisciplinar que colabora com outros campos como a educação, química, ciência da computação, engenharia, antropologia, linguística, matemática, medicina e disciplinas afins, filosofia, física, comunicação e psicologia

“Os avanços e descobertas na área da neurociência ligada ao processo de aprendizagem são, sem dúvida, uma revolução para o meio educacional”, opinou Fabiana, conselheira e parceira CORE.  A Neurociência da aprendizagem, em termos gerais, é o estudo de como o cérebro aprende. É o entendimento de como as redes neurais são estabelecidas no momento da aprendizagem, bem como de que maneira os estímulos chegam ao cérebro, da forma como as memórias se consolidam, e de como temos acesso a essas informações armazenadas. Não por acaso a neurociência é a disciplina em que as ciências biomédicas se encontram com as ciências humanas.

“A neurociência vem nos desvendar o que antes desconhecíamos sobre o momento da aprendizagem”, deixou claro Cristiane Raposo. “Quando falamos em educação e aprendizagem, estamos falando em processos neurais, redes que se estabelecem, neurônios que se ligam e fazem novas sinapses”, completa a especialista.

E o que entendemos por aprendizagem? “Aprendizagem, nada mais é do que esse processo pelo qual o cérebro reage aos estímulos do ambiente, ativa essas sinapses (ligações entre os neurônios por onde passam os estímulos), tornando-as mais "intensas. A cada estímulo novo, a cada repetição de um comportamento que queremos que seja consolidado, temos circuitos que processam as informações, que deverão ser então consolidadas”, explicou Fabiana Sarlo.

O cérebro é provavelmente o órgão mais fascinante do corpo humano. Ele controla tudo, da respiração até nossas emoções e inclusive nosso aprendizado. E para o professor, conhecimentos básicos de neurociência são essenciais para seu trabalho, já que seu objetivo é proporcionar aprendizagem a seus estudantes e, de preferência, da forma mais otimizada possível.

Aprendemos com a cognição, mas sem dúvida alguma, aprendemos pela emoção. Por isso, quanto mais estímulos e interações, maior a aprendizagem.

Nossas conselheiras CORE foram unânimes em elogiar o público presente, que foi bastante acolhedor e participativo, sedento de formação e ferramentas, “não só para seus alunos, mas para as famílias e toda a comunidade escolar”, mencionou Cristiane.

Para Fabiana Sarlo, o que mais impressionou foi a vontade de aprender das professoras de educação infantil: “trouxeram muitos exemplos do seu dia a dia e saíram convencidas que a abordagem tradicional não atendem às necessidades das crianças que elas recebem.”

Raquel Bernardes, uma das presentes, comenta:  “adoramos sua palestra, todas as informações que nos passaram. Sou professora de surdos e alguns têm múltipla deficiência. Gostaria de mais informações.”

Mikaelly Sousa, que não conhecia o trabalho da CORE,   teve só uma reclamação, ela achou que duas horas foi pouco tempo:  “foi maravilhoso! Uma palestra cheia de estímulos, dinâmica e muito rica. Se já gostava desse assunto, agora meu potinho está com sede de aprendizado e com certeza vou buscar mais ainda e fazer a diferença para as nossas crianças!”

Dicas úteis de fatores que influenciam na aprendizagem, segundo nossas especialistas:

Para aumentar a motivação, estimule a curiosidade dos alunos e traga conteúdos que interessem; busque estabelecer relações pessoais, use emoção e fuja das aulas expositivas e atividades 100%  dirigidas.

No Comments

Post a Reply

WhatsApp chat